segunda-feira, 15 de maio de 2017

IODOSORB CREME

Durante muitos anos – eu diria, décadas – usamos produtos com Iodo para limpeza, assepsia e antissepsia da pele.

Nos centros cirúrgicos o álcool iodado e o Povidine – nas versões alcoólica e degermante – ainda fazem parte da rotina de preparo das mãos da equipe cirúrgica e do campo operatório em muitos centros cirúrgicos. É um problema quando pacientes informam alergia ao Iodo em serviços que não dispõem de outras alternativas.

Pois bem, o Iodo tópico vem se impondo como alternativa contra a infecção no tratamento das feridas crônicas. Concentrações apropriadas contornam a toxicidade celular dos produtos convencionais.


Comentaremos um pouco de nossa experiência com o IODOSORB da empresa Smith&Nephew.

Informamos que não temos qualquer conflito de interesse relacionado ao produto.

Trata-se de uma pomada formada por microesferas de amido – quimicamente, um cadexómero – acrescida de iodo a 0,9%. 
Enquanto o composto de amido atua como absorvente do exsudato, o iodo vai sendo gradualmente liberado para o ambiente da ferida e exercendo suas atividades bactericidas e bacteriostáticas.

Figura 1


A figura 1 mostra o aspecto por ocasião da colocação do IODOSORB sobre leito infectado.




Figura 2



Na figura 2 podemos observar o aspecto gelificado do IODOSORB após 48 horas. É possível ver ainda, por transparência, sinais de infecção ainda ativa no leito.




O aspecto após uma semana de aplicação do IODOSORB (Figura 3).
Por sob a cobertura não aderente o leito se mostra livre de infecção visível e com boa granulação.

Figura 3
Em nossa experiência estamos bem impressionados com a eficiência do produto.

Uma de suas vantagens é que pode ser aplicado sob terapia compressiva tais como Bandagens de UNNA. Para nós isto é muito importante pois a grande maioria dos pacientes necessitam de terapia compressiva para combate ao edema e ao exsudato.




Considerações importantes


  • Segundo o fabricante o amplo espectro da atividade  antibacteriana dura em torno de 72 horas.
  • É muito fácil de retirar pois não adere ao leito  e adquire coloração esbranquiçada com aspecto gelatinoso.
  • Pode ser facilmente aplicado em feridas com leito cavitário, o que torna a sua aplicação muito conveniente para determinadas úlcerações do pé diabético.
  • Convém evitar transbordamento do produto para a pele do entorno; o fabricante recomenda que não se ultrapasse 50g em uma única aplicação (as bisnagas que usamos em nosso serviço contem 20g).
  • O IODOSORB está contraindicado em pacientes com distúrbios da tireóide, gestantes e lactantes.

Sugestão de leitura:
  • Cadexomer iodine provides superior efficacy against bacterial wound biofilms in vitro and in vivo -Autores: Daniel J. Fitzgerald PhD,Paul J. Renick MS,Emma C. Forrest BS,Shannon P. Tetens BS,David N. Earnest BS,Jillian McMillan BS,Brett M. Kiedaisch MS,Lei Shi PhD,Eric D. Roche PhD